MPMT se manifesta contrário à retirada da proteção das Áreas Úmidas do Guaporé e Araguaia


O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da Procuradoria Especializada de Defesa do Meio Ambiente e da Ordem Urbanística e das Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente Natural da capital, vem se manifestar contrário a alterações do Decreto Estadual n. 1.031/2017 que retira a proteção das Áreas Úmidas do Guaporé e Araguaia.

Consignam ter causado surpresa a publicação na data de hoje do Decreto nº 1.647, de 29 de Agosto de 2018, que excluiu da proteção ambiental as Áreas Úmidas do Guaporé e Araguaia. Na prática houve revogação da parte final do § 2º do art. 35 do Decreto n. 1031 de 02/07/2017 que classificava a Planície Inundável/Pantanal do Guaporé e Araguaia como área de uso restrito.

Com isso a partir de agora, colidindo com tratados internacionais (como a Convenção de Ramsar) e com os interesses ambientais, o Estado de Mato Grosso possibilita a exploração econômica das aludidas áreas úmidas retirando por completo toda e qualquer forma de proteção ou tratamento de forma especial que eram destinadas às Áreas Úmidas do Guaporé e Araguaia.

Informa que será investigado como se deu essa alteração e adotará providências que forem necessárias para o restabelecimento da aludida proteção e promoção de responsabilidade daqueles que se valerem da brecha aberta pelo decreto para fins de prejudicarem as áreas úmidas agora artificialmente desprotegidas.

Fonte: Assessoria MPMT

Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público de Meio Ambiente (Abrampa)
Fone: (31) 3292-4365
comunicacao@abrampa.org.br 
Facebook: /abrampa.mp
Instagram: abrampa.oficial


COMENTÁRIOS ()