Ministérios Públicos apresentarão estudo sobre pontos de ignição dos incêndios no Pantanal e estratégias para 2021

Na próxima segunda-feira (5/4), os Ministérios Públicos dos Estados de Mato Grosso do Sul (MPMS) e de Mato Grosso (MPMT) e o Ministério Público Federal (MPF) realizarão reunião virtual sobre a “Atuação dos Ministérios Públicos contra os Incêndios no Pantanal”. O encontro será transmitido via Youtube das 14h às 18h, horário de MS.

Na oportunidade, será apresentado o Relatório Técnico elaborado pelas equipes de geoprocessamento do MPMS e MPMT que, utilizando imagens de satélite, fizeram análise e retrospectiva de todos os incêndios ocorridos no Pantanal, no intervalo de 1º de agosto a 31 de outubro em Mato Grosso do Sul, e 7 de julho a 15 de novembro em Mato Grosso. Nesses períodos a queima estava proibida e foi averiguado que, apesar da grande extensão de área queimada (4,5 milhões de hectares), esses incêndios tiveram início em apenas 286 pontos, mas vieram a prejudicar 2.058 propriedades privadas nos dois Estados.

O objetivo do estudo foi verificar as prováveis causas do início dos incêndios, ou seja, se começaram em razão de transeuntes em rodovias, curtos-circuitos em redes elétricas, raios, ribeirinhos ou atividade agropecuária para, com base nisto, verificar a melhor estratégia de atuação para o ano de 2021.

Para o Promotor de Justiça e Diretor do Núcleo Ambiental, Luciano Furtado Loubet, este estudo é de extrema importância para definir a estratégia de atuação do Ministério Público, uma vez que, se as causas de ignição de incêndio ocorrerem prioritariamente em razão de trânsito de veículos nas rodovias e estradas que cortam o Pantanal, a forma de atuação deve ser totalmente diferente do que se ficar demonstrado que estas ocorrem dentro das propriedades, longe de qualquer rodovia, rio, rede elétrica ou qualquer outra possível causa de ignição.

Participarão da reunião virtual: Luiz Alberto Esteves Scaloppe (titular da Procuradoria de Justiça Especializada de Defesa Ambiental e Ordem Urbanística – MPMT), Erich Raphael Masson (MPF/MT), Ana Rachel Borges de Figueiredo Nina (MPMS), Pedro Paulo Grubits Gonçalves de Oliveira (MPF/MS), Ana Luiza Ávila Peterlini de Souza (MPMT), Joelson de Campos Maciel (MPMT), Liane Amélia Chaves (MPMT), Maria Fernanda Corrêa da Costa (MPMT), e Bernardo Meyer (MPF/MT).

Programação

Abertura:

14h – 14h15

Luiz Alberto Esteves Scaloppe (MPMT)

Pedro Paulo Grubits Gonçalves de Oliveira (MPF)

Luciano Furtado Loubet (MPMS)

14h15 – 14h45

Incêndios no Pantanal – Estudos sobre pontos de ignição e prováveis causas

Estratégias de atuação dos Ministérios Públicos

14h45 – 15h: Atuação do MPMS

15h15 – 15h30: Atuação do MPMT

15h30 – 15h45: Atuação do MPF

15h45 – 16h: Intervalo

16h – 17h30: Debates e respostas ao público

 

Fonte:  Ana Paula Leite/Jornalista Assecom MPMS

 

Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público de Meio Ambiente (Abrampa)
Fone: (31) 3292-4365
[email protected] 
Facebook: /abrampa.mp
Instagram: abrampa.oficial

Outras notícias

20/05/2024

Adaptação climática das cidades é urgente

Diante do cenário atual das mudanças climáticas, que prevê que eventos extremos serão cada vez mais frequentes e intensos, é urgente aumentar a resiliência das cidades. Dados do Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC) revelam que, com a velocidade do aquecimento do planeta, medidas de redução das emissões de gases de efeito estufa, ainda que […]

15/05/2024

ABRAMPA pede que PL que dispensa licenciamento ambiental para a silvicultura seja vetado pelo Presidente da República

A Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público de Meio Ambiente (ABRAMPA) reafirma seu posicionamento contra o Projeto de Lei nº 1.366/2022, que prevê a retirada da silvicultura do rol das atividades potencialmente poluidoras, conforme definido pela Lei Federal nº 6.938/1981 (Política Nacional de Meio Ambiente). O projeto foi aprovado pelo Congresso Nacional no dia […]

Mídias Sociais
Desenvolvido por:
Agência Métrica